Pensar de forma integrada e inclusiva para alcançar objetivos

Portugal tem sabido traçar um caminho consistente para cumprir as suas responsabilidades no que respeita as alterações climáticas e a segurança de abastecimento. É já um exemplo na penetração de energias renováveis no mix energético e tem adotado medidas para incrementar soluções de eficiência energética.
 

Nas conclusões recentes do COP21, entre outras nas quais claramente se destaca a redução para 1,5ºC no aquecimento global em 2050, podemos ler que, globalmente, os países decidiram reforçar a aposta na investigação tecnológica e no desenvolvimento e demonstração em particular na exploração dos recursos endógenos e na disponibilização dos recursos financeiros para a alavanca dos resultados tecnológicos e no apoio à transferência de tecnologias maduras. Portugal está em sintonia com estes compromissos.
 

O Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG) posiciona-se como uma instituição de investigação e desenvolvimento que assenta a sua atividade para, em primeiro lugar, apoiar, o Estado português na sua obrigação de encontrar caminhos para o desenvolvimento económico e concomitantemente no apoio ao desenvolvimento económico e procura, no dia-a-dia, os argumentos que permitem explorar de forma otimizada o investimento em ciência e tecnologia. É desta forma que oferecemos conhecimento sobre a melhor utilização dos nossos recursos endógenos, sejam eles para a produção de energia a partir de fontes renováveis sejam para a exploração de matérias primas para o desenvolvimento económico.
 

Outra das conclusões COP21 foi o reconhecimento da necessidade de aumentar sinergias através da cooperação e evitar de duplicações com vista ao melhor uso dos recursos disponíveis. Foi ainda identificada a necessidade de mapear e colmatar lacunas.

O LNEG, desde longa data, está consciente destas necessidades e abraçou estes desafios ao trabalhar de forma muito ativa em estreita colaboração com duas grandes redes de investigação e desenvolvimento nas suas áreas de competência – a European Energy Research Alliance e a rede dos EuroGeoSurveys, na qual se salienta a cooperação com as Universidades Europeias. Os objetivos a atingir por estas redes estão perfeitamente alinhados com as decisões do COP21. Trabalhamos para alicerçar o conhecimento e desenvolvimento tecnológico em cooperação regional, nacional e internacional, partilhando o mais avançado conhecimento e as melhores práticas.
 

Só através do diálogo estreito e franco entre todos os intervenientes, conseguiremos atingir os objetivos a que nos comprometemos. Num sistema tão complexo como este em que vivemos, pensar de forma integrada e inclusiva quer de soluções tecnológicas quer de diferentes interesses e perspetivas parece ser o caminho mais direto para o cumprimento das metas que todos queremos atingir.